Tudo o que você precisa saber sobre a catapora (varicela)

Catapora, ou varicela, é uma infecção altamente contagiosa causada pelo vírus varicela-zoster. É uma doença muito comum em crianças e em geral, não apresenta gravidade, sendo um quadro autolimitado. Normalmente, aparece em crianças menores de 10 anos, sendo que mais de 90% dos adultos são imunes, pois já a contraíram em alguma época da vida e, uma vez exposta à doença, a pessoa fica imune permanentemente.

Como proteger os pequenos da doença?

Hoje já dispomos da vacina contra a varicela, que tem grande efetividade e que deve ser recomendada para todas as crianças, pois na ocorrência da doença, o vírus pode se instalar de forma latente (adormecida) no organismo, em gânglios nervosos próximos à coluna vertebral. Em caso de uma reativação do mesmo, pode ocorrer o Herpes Zoster, com um quadro clínico caracterizado por bolhas agrupadas sobre a pele avermelhada, associado à sensação de dor, queimação e aumento da sensibilidade local.

Quando e como a catapora costuma surgir?

É mais comum contrair a catapora no inverno, pois a concentração de pessoas em ambientes fechados aumenta em decorrência do frio. A transmissão da catapora dá-se pelo contato direto com saliva ou secreções respiratórias da pessoa infectada, ou pelo contato com o líquido do interior das bolhas. O período de incubação dura em média 15 dias.
A recuperação completa ocorre de sete a 10 dias após o aparecimento dos sintomas.

Sintomas

A varicela é considerada uma doença sem muita gravidade, mas que pode provocar grande desconforto à criança. A febre, sintoma comum, pode alcançar grau elevado, chegando até 39,5 °C. Mal-estar, falta de apetite e cansaço também são comuns.
A doença tem como principal característica a erupção de manchas vermelhas, que evoluem para bolhas com líquido claro em seu interior, e que, ao estourar, tornam-se pequenas erosões da pele, ainda vermelhas, com reação inflamatória acentuada, que coçam muito. Estas lesões normalmente evoluem com cicatrização, desaparecendo entre uma e duas semanas.
Em algumas crianças surgem poucas lesões, mas em outras, elas podem se disseminar pelo corpo todo, sendo mais numerosas no tronco, podendo surgir em mucosas como boca e área genital, com tendência a poupar as extremidades.

Complicações e cuidados

A principal complicação da catapora é a infecção secundária das lesões. Por esse motivo, deve-se evitar coçá-las e arrancar suas casquinhas. Cicatrizes altas, chamadas queloides, e deprimidas, atróficas, também podem surgir na involução da doença. O que determina essa complicação é a gravidade da doença e a predisposição do indivíduo em formar cicatrizes.
Adultos devem ter cuidado, pois neles a doença pode ser mais grave que em crianças, com comprometimento da árvore respiratória. O ideal é procurar um médico assim que surgirem os primeiros sintomas.
Mulheres grávidas, que ainda não tiveram catapora, devem se manter longe de pacientes com a doença. Se houver uma eventual exposição, procurar um médico imediatamente – a varicela pode trazer complicações para o bebê.
Atenção também com recém-nascidos, com crianças e com adultos que tenham o sistema imunológico deprimido.

Prevenção

A propagação da doença se dá por contágio direto através do contato com as lesões, superfícies contaminadas, por gotículas respiratórias no ar (tosse ou espirro) e também pode ser transmitida da mãe para o bebê durante a gravidez, parto ou amamentação.
A melhor forma de prevenir a doença é se vacinar. Desde 2013, a vacina contra a catapora é oferecida pelo SUS. Ela faz parte da tetraviral que também protege contra sarampo, caxumba e rubéola. A vacinação é importante porque preserva não só a pessoa contra as doenças, mas todos em sua comunidade. Isto é especialmente importante para as pessoas que não podem se vacinar, como aquelas com sistemas imunológicos debilitados e mulheres grávidas.
Algumas pessoas, mesmo vacinadas contra a varicela, ainda podem ter a doença. No entanto, será uma versão geralmente mais suave, com menos bolhas e pouca ou nenhuma febre. Outro modo de se prevenir é evitar ao máximo o contato com pessoas que estejam com a doença.
O contágio ocorre desde o momento em que surgem as primeiras manchas, até a última bolha secar. Portanto, aquele que ainda não teve a doença ou está no grupo de risco, não deve ter contato com os pacientes. Já as pessoas com catapora, devem se manter o máximo possível longe do convívio coletivo até que todas as bolhas sequem. Ou seja, crianças não devem ir à escola e adultos precisam se afastar do trabalho.

Tratamentos

Não há tratamento específico, mas há medicamentos que podem aliviar os sintomas, como paracetamol e dipirona para febre, e cremes ou loções que diminuam a reação inflamatória das lesões, e com isso, refresquem e aliviem a coceira.
Quando houver contaminação das lesões, o uso de antissépticos, como sabonetes e banhos com substâncias antissépticas podem ser indicados. Formas extensas de catapora em adultos ou em imunocomprometidos podem necessitar de tratamento antiviral e/ou imunoglobulinas específicas.

AMILIA

O talco líquido Amilia® tem sido usado há muitos anos nos quadros de catapora, sendo um produto muito reconhecido pelos pediatras, no alívio dos sintomas da doença.
A AMILIA® tem uma composição muito apropriada para o uso nestes quadros.
O produto tem em sua composição:

  • Alfa-bisabolol, que possui ação anti-inflamatória, com diminuição do prurido, diminuição das lesões úmidas e secas, conferindo proteção e emoliência;
  • Silicone, de ação emoliente, adstringente e suavizante;
  • Kaolin, considerada uma argila mineral natural, com ação adstringente, suavizante, toque suave, calmante.

É uma composição extremamente saudável para a pele da criança, sendo uma formulação única e diferenciada no mercado, com excelente cosmética e espalhabilidade, sem perfume, podendo ser usado por pacientes atópicos ou com pele sensível.
Por sua segurança, pode ser utilizado desde recém-nascidos até gestantes.

  • GOSTOU? COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS: