Cáries, escovação e flúor: como ensinar a rotina do cuidado bucal

É necessário limpar a boquinha do bebê antes dele possuir dentes? Essa é uma dúvida muito comum em relação à higiene oral. A orientação dos odontopediatras é que não é preciso dar mais uma atribuição a mães/pais nesse momento, até porque o leite materno contém imunoglobulinas protetoras da mucosa que devem ser mantidas na cavidade oral. Salvo em algumas ocasiões em que o bebê pode ter regurgitado muito, não é preciso remover o remanescente de leite de sua boca.
O que se pode fazer antes dos dentes aparecerem é massagear a gengiva, para auxiliar no processo de erupção dos dentes, e ir acostumando o bebê à manipulação da cavidade oral para quando for introduzida a escovação. Tal ação pode ser realizada de forma leve e divertida, durante o banho, por exemplo, com o próprio dedo (limpo e com unha curta) ou com uma dedeira de silicone (ideal para a fase de massagem e não para a remoção de biofilme posteriormente na presença de dentes).
Ao irromperem os primeiros dentes, a regra é clara: tem dente, tem escova. Nesse momento, pode ser apenas escova umedecida, uma vez ao dia. Conforme aparecerem outros dentes, vem o complemento da regra: tem dente, tem escova e tem pasta com flúor! Para proteger por completo, é importante que a pasta de dente tenha pelo menos 1.000 ppm de flúor e, inicialmente, a quantidade será menor que um grão de arroz. Só passará para um grão de ervilha quando a criança tiver a dentição completa ou já dominar o controle da deglutição voluntária, por volta do terceiro ano.
A presença de flúor é fundamental para o combate da cárie, principalmente se não ocorreu desmame noturno, já que os resíduos do leite nos dentinhos associados à dieta da família podem causar desmineralização dos dentes (manchas brancas e depois cavidades). Não se preocupe se seu bebê não souber cuspir: os dentes molares aparecerão a partir dos 13 meses e, em geral, nessa idade a relação do peso da criança X a quantidade de flúor (grão de arroz) não será suficiente para provocar nenhum problema sistêmico, nem manchas nos dentes.
A introdução correta da higiene bucal é importante para formar esse hábito na criança, ensinando-a que ela é responsável por escovar os dentes três vezes ao dia. A remoção efetiva do biofilme cabe ao adulto cuidador que tem capacidade motora para realizar tal ação. Sendo assim, até os 8-9 anos, o adulto é responsável por limpar os dentes da criança pelo menos uma vez ao dia. Nas outras duas vezes, a criança deve se dedicar a aperfeiçoar a técnica de escovação, imitando o adulto. Tanto em relação à escovação quanto ao uso de fio dental, uma orientação importante para que o responsável seja eficaz na limpeza é a criança estar com a cabeça apoiada _ deitada no colo dele, por exemplo, onde ele terá visão de cima para baixo. Pode ser sentada na pia desde que apoiada contra a parede. A criança poderá escovar os dentes com a pasta no banheiro e, depois, o adulto reforçar a remoção fora dele apenas com a escova úmida.
Posteriormente, tendo a criança desenvolvido habilidade suficiente para remover o biofilme sozinha, o adulto poderá apenas supervisionar a escovação uma ou duas vezes por semana. Em relação ao fio dental, tão importante quanto a escova, o processo de limpeza e supervisão se estende um pouco mais (12 a 14 anos), porque requer mais habilidade motora.
Ao seguir essas orientações, os dentinhos se desenvolverão com saúde e a criança aprenderá uma melhor rotina de cuidado bucal!

Fonte: Dra. Mariangela Schalka – CRO-SP: 49.088

  • GOSTOU? COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS: